Relatão sobre a RPGCon 2011 e a palestra das editoras

A seguir, segue o meu relato do evento o qual fui somente no Sábado, e também deixo para falar da palestra de editoras e a parte de 3D&T/Tormenta que foi realizada no Domingo eu tive que pegar de outros lugares (ao final estão as fontes). O post ficou meio longo, espero que gostem da descrição do Sábado, o único dos dois dias possíveis ao qual eu fui.  Além disso, algumas figuras ao qual apareci também estão aqui. Se quiserem mais, o link está no post anterior.

Cheguei na RPGCon logo no início das 10h da matina e lá tinha duas filas: uma para quem comprou o ingresso antecipadamente, ambas estavam grandes demais e houve uma confusão sobre onde deveria estar cada uma delas que o Vasco (um dos membros do D3 System) teve que organizar e no final, ao invés de duas filas ficamos com três. Na entrada encontrei coma Érika “Tuz” e o seu marido, o tio Nitro, assim como os brasilienses Salomão “Tek” Santiago e CF “Spellcaster” que enfrentaram o mesmo problema que eu. Mesmo assim, o local é bom e fácil achar (apesar que no metrô eu desci do lado par e tive que voltar a ele para pegar o ímpar onde fica o colégio. Atravessar a rua para quê se o metrô pode ajudar?).

Após mais ou menos meia hora na fila entrei e dei de cara com a FRI (Feira de RPG independente) com os estandes da Secular Games, Retropunk Game Design, Tagmar II, Terras de Shiang (ReOps), Spell RPG, Red Box Editora, Kalahad e Coisinha Verde fechando os dois pátios. Dá para notar que há muitas novas editoras no mercado que trabalham para lançarem seus RPGs com recursos próprios, falei bastante com o Marcelo Rodrigues do projeto Tagmar 2 e o Thiago “Coisinha Verde” Junges do Mighty Blade, além do “Trio Old Dragon”. Depois, indo para as editoras “normais” primeiro a Jambô, depois um quiosque que acho que era da D3Store, um de raspadinha (e estava um frio do caramba então resolveram vender frutas achocolatadas também) e por fim, a Conclave Editora que parecia estar um pouco afastada dos demais estandes, lá conversei um pouco com o Cristiano “Cuty” Chaves e infelizmente acabei não achando o dado rosa que a minha namorada pediu. Perdi um pouco de tempo procurando a entrada do colégio para as associações, o que acabei só descobrindo onde ficava depois e ao chegar, peguei uma (outra) fila por pelo menos meia hora, o que acabei desistindo de vez. É a primeira vez em anos que não vou na feira (ou leilão) de jogos usados. Lá em cima vi que se realizava uma palestra sobre Ufologia e RPG, assunto que gosto muito (quem ler os cenários que postei como o Terra Oca irá entender), mas resolvi voltar e ficar perto da FRI. Procurei também os estandes internos da FaleRPG e da SpellRPG, mas parecia que não tinha ninguém dessas organizações, a exposição sobre história do RPG na Confraria das Ideias, além do RPG jogado com Kinect no XBox 360! Outro lugar que não fui foi na feira medieval, mas aí foi por culpa minha mesmo.

A primeira palestra que eu vi foi a do RPG independente com Guilherme Moraes (Retropunk GD), Antônio Sá Neto e Fabiano Neme (RedBox Editora), Thiago Junges (Coisinha Verde) e Rocha e Giltônio (Secular Games) na qual foi um bate-papo sobre a produção de RPG independente na qual foram levados dois assuntos principalmente: a aquisição de licenças e a formação de comunidades em torno do jogo. A palestra demorou para começar devido a palestra anterior (aquela sobre Ufologia e RPG que mencionei acima) então ficamos no corredor conversando, sendo que falei mais com a Maíra Termero do Taulukko. Sobre o primeiro tema, tanto Neme, Pop e Moraes falaram dos preços de suas aquisições, das mais baratas (dadas de graça pelo autor) até as mais caras, que cobram por livro publicado. Muitas vezes o problema é o negociador, que é muito chato ou chato para liberar a licença. A segunda parte, sobre a criação de comunidades, faz com que esta seja feita com a divulgação anterior do livro, pré-venda e fóruns e listas, como foi feito com o Mighty Blade e também com o Old Dragon. O mesmo aconteceu com o Busca Final da Secular, que teve um grande regime de pré-venda e depois foi liberado gratuitamente. (e que eu mesmo acabei reupando logo no MediaFire, 4Shared e Scribd). Também houve uma formação de comunidade quando aconteceu o concurso de jogos durante o carnaval, uma ideia até comum lá fora, mas estupendamente realizada pela Secular. Aqui troquei a palestra de Podcasters pela de RPGs independentes, mas pelo que falaram, foi uma boa palestra também.

Após essa palestra descemos para acompanhar a palestra das editoras (e aos palestrantes palestrarem mais uma vez). Para dividir melhor a palestra, vou colocar primeiro os que estavam na palestra e depois os que estavam na FRI e não tinham cadeira cativa nela. Além disso, três dos lançamentos (os que julguei principais) já foram tratados aqui e serão somente mencionados.

O primeiro a palestrar foi o gaúcho Tiago “Coisinha Verde” Junges, mais conhecido pelo que trouxe os dois packs de Mighty Blade (O último sacrifício e A cripta das donzelas) e vai lançar de forma impressa o Bestiário para o sistema da casa, Mighty Blade e os Guias de Campanha e dos Heróis para esse mesmo sistema que serão disponibilizados tanto gratuitamente quanto impressos. Saindo do sistema principal o Cães de Aluguel, rebatizado de DOGS via vir em uma pasta estilo a de detetive, ele levou somente oito para o evento e quer lançar quando fizer um carimbo escrito “Top Secret” o que deve fazer esse título muito legal. A nova revisão do Calisto e o Calisto Space devem sair em breve também.

Logo depois foi a juizforense Conclave Editora com Cristiano “Cuty” Chaves que lançou o Viking Tiles – Montanhas Geladas no evento, mas o outro lançamento esperado devido a um problema da gráfica no qual todos os livros vieram com páginas soltas, o Vikings Reinos de Pedra 2ª edição será lançado somente essa semana. Em Agosto deve ser lançado a coletânia de contos Contos Nórdicos Volume 1 e posteriormente o Vikings: Reinos Proibidos que abrangerá os subterrâneos de Midgarg com os Elfos Negros, também para D&D 4ª edição. A adaptação de Crônicas da Sétima Lua para a quarta edição segundo ele está devagar, quase parando.

O terceiro a falar foi o Mr Pop (ou Antnio Sá Neto) da editora multiestatal RedBox Editora que trouxe para o evento as miniaturas para Old Dragon tendo inclusive os personagens icônicos e também o que foi um dos primeiros a se esgotar. Old Dragon revisado e as fichas de personagem foram as novidades da editora para o evento. Está em produção o bestiário para Old Dragon com 80 monstros, sendo um por página e seguindo o estilo do Livro dos Monstros de AD&D 2ª edição e incluirá regras para criação de monstros e de encontros. Haverá uma aventura sendo lançada em Outubro/Novembro para iniciantes, algo que na visão dos autores cobriu algo que os iniciantes não tiveram no Módulo Básico. Também será lançado o cenário Legião em caixa da forma que os oldschooler gostam: com marcadores, mapa, cartões… E não haverá reimpressões das caixas! Eles também adquiriram a sua primeira licença estrangeira: O RPG de zumbis Shotgun Diaries que será publicado em caixa primeiramente aqui e futuramente haverá a chance de ser lançado assim nos Estados Unidos. Além disso, a RetroStore também venderá RPG nacional em PDF tanto da Jambô quanto da Conclave, além dos deles.

O quarto foi Guilherme Moraes da paranaense Retropunk Game Design que trouxe ao evento o Fiasco, um RPG feito para que as aventuras terminem em um… fiasco, ora bolas! Para o principal título da casa Rastros de Cthulhu devem aparecer a aventura “Inacreditáveis casos sobrenaturais” e o suplemento que explica melhor sobre as regras de magia chamado “Magia Bruta”. Ainda este ano deve aparecer O Espírito do Século e Este Corpo Mortal (Mortal Coil). Lá por Setembro e Outubro deve estar no mercado mais um RPG sobre zumbis, mas esse sim nacional, o Terra Devastada de John Bogéa que já foi tratado aqui. Eles também irão lançar o Terra Devastada, um RPG de zumbis nacional escrito por John Bogéa e que já foi falado aqui. Em 2012 aparecerá a mais recente versão de Little Fears que tem o subtítulo Nightmare Edition. E fecharam com uma nova licença para o início do ano que vem: Savage Worlds e pretendem que exista a produção de material nacional para este sistema. Outros títulos da mesma editora, Pinnacle Entertainment Group, podem aparecer como Deadlands e Weird Wars: Weird War Two para o segundo semestre do ano que vem. Um dos vencedores do concurso da Secular Games, Abismo Infinito pode aparecer no futuro, assim como Esoterroristas.

A Secular Games representada pelo seu mestre cabeça branca Rocha lançou o Mamute #02 que traz como destaque o jogo Cthulhu! Tora! Tora! Tora! na qual kamikazes enfrentam o grande Cthulhu (seu apelão de uma figa!) e vai tentar fazer mais Mamutes em menor número de tempo de que um ano, mas não é nada garantido que isto aconteça. No segundo semestre pode ser que apareça Onírica, um dos vencedores do concurso dessa editora. Tribo de Meru, um jogo anunciado no Mamute deve ser também publicado, assim como Fúria Virtuosa ambos do Giltônio, mesmo autor do Busca Final. Um outro título a ser lançado é o Violentina que segue o padrão de Pulp Fiction e é um jogo de narrativa compartilhada (tal qual o Fiasco, ou seja, sme Mestre enquanto todos os jogadores também o são) e será feita a captação de recursos via crowdfunding na qual aquele que doar ganha um prêmio que pode ser um desconto na compra do livro ou qualquer outra coisa em breve devo falar mais dele.

A 80% gaúcha, 20% paulista Jambô Editora teve como representante Guilherme dei Svaldi e lançou no evento Mecha & Mangá, suplemento para Mutantes e Malfeitores, a série de contos Crônicas de Tormenta e também a HQ online Ledd e começou prevendo que a Dragonslayer deve ter pelo menos três edições este ano. Mutantes e Malfeitores 2ª edição deve ter seu último lançamento que será o Poder Surpremo. Depois dele deve sair o Mutants & Malfeitores 3ª edição e o DC Universe. Dragon Age deve receber seu suplemento Sangue em Feredlen antes da segunda caixa ser lançada. O romance para Tormenta Deus Máquina está quase pronto. O cenário salada (isso é um elogio) para 3D&T – mas que ficaria bom também em M&M na minha opinião- Megacity está pronto, e passará a ser o cenário oficial dessse sistema. Tanto Reinos de Moreania quanto Mundo de Arton serão vendidos em caixa e o primeiro levará o personagem até o décimo nível. Será lançado o livrão Guia da Trilogia que seguirá o padrão de Holy Avenger D20 com mais de trezentas páginas e que será lançado durante o Dia de Tormenta, um evento a ser realizado com material gratuito cedido pela editora. Na Dragonslayer #35 terá uma aventura que contará a guerra civil dos anões, o que acabará com Doherimm. as Miniaturas de Tormenta estão em produção e é possível que saia um Tormenta Cardgame para a partir de 2012.

Para a luso-hispano-paulistana Devir Livraria estavam Douglas Quinta Reis e Maria do Carmo Zanini. Otávio Gonçalves que falaria de D&D e GURPS não compareceu ao evento, mesmo assim não teve nenhum lançamento da editora. Mas promessas, várias: Começando pelo Mundo das Trevas, foi lançada uma segunda edição de Vampiro: O Réquiem com muitos dos erros da primeira corrigido. Esse ano deve aparecer somente o Vampiro: Manual de Conversão com 116 páginas e impresso e talvez, Changeling: The Lost. Para 2012, World of Darkness: Second Slight e segundo o Douglas, “vou tentar trazer coisas de Vampiro: a Máscara que ficaram faltando”. GURPS Campanhas foi enviado para aprovação de Steve Jackson no dia 18/07 e deve sair ainda este ano lá por Julho/Agosto. Sim, agora para lançar um livro de GURPS tem de ter a aprovação do titio Steve. Para D&D deve sair a caixa (sim, de novo essa palavra) vermelha e mais três livros aos quais o Douglas Quintas Reis não lembrou. No começo de Novembro o RPG vai completar 21 anos de Brasil e a Devir pensa em lançar um módulo em conjunto com os dois módulos básicos de GURPS da presente edição. Além disso, deve chegar o The One Ring, o novo RPG de Senhor dos Anéis logo após o lançamento dele no exterior em Agosto. Há a possibilidade do uso do RPG na favela de Heliópolis a partir de um acordo com a prefeitura e a produção de livros para Kindle e iPad.

Agora, as editoras que não estavam na Palestra de lançamentos, mss que estavam presentes no evento.

O Tagmar II esteve com a sua tradicional equipe, mais centrada no Rio de Janeiro, mas com colaboradores de todo o país. Lá, a grande novidade foram os livros impressos e vendidos a preço de custo. pos netbooks O Império e o Livro das Magias Perdidas devem sair primeiramente em Agosto, só não saíram por motivo de doença.

O OPERA/ReOPS foi representado pelo Leonardo Antônio de Andrade e por um incauto que preferiu não se identificar (eu sei quem é, mas ele pediu sigilo), ambos do interior de Sampa, estava lançando o Terras de Shiang, um mundo oriental feito com esse sistema. O livro estava sendo vendido em formato livro (colorido) e em netbook colorido, mas quem quiser, pode baixar de graça. Além disso, estavam vendendo títulos antigos desde o primevo Resumo do OPERA, o OPERA RPG (da Comic Store), O Mais Longo dos Dias, Conspiração do Amanhecer, 1887: Sob o Sol do Novo México, o mais recente ReOPs e o livro TrancadoPorDentro sendo que faltou somente o primeiro O Mais Longo dos Dias. Além disso, exibiam um pôster 3D do Terras de Shiang na qual precisava do óculos para visualizá-lo. Muita gente parou só para vê-lo!

A SpellRPG com sua comitiva que veio do Rio de Janeiro trouxe o cenário de Ohmtar para D&D 4ª edição, um baita livrão de mais de 500 páginas e 26 Raças, mas que estará disponível inicialmete apenas em PDF o que segundo o autor resultará em um arquivo de mais de 200Mb. Falei bastante com o Aleffcapt no estande do Coisinha Verde, mas acabei não falando com o Cristiano Lagame por causa do encontro de blogs.

O Kalahad veio com pelo menos três participantes e eu sei que tinha gente de SP e do MT. Eles não estavam no cronograma inicial da FRI, mesmo assim chegaram lá pelo 12h nela e conseguiram sua vaguinha. Eles estavam vendendo o manual do Kalahad (o qual devo uma resenha) por apenas 10 reais e também um CD por apenas 2 reais contando com três livros: O Módulo Básico somente com regras, um grimório e o suplemento sobre a terceira era, que é o período ao qual passa o módulo básico impresso. Eles prometeram seis livros esse ano, mas a metade deles já está muito bom.

Mais tarde, logo após a palestra aconteceu o IV Encontro de Blogs. Aliás, encontro não, foi um longo bate-papo sobre vários assuntos ligados ao RPG. Depois, dei uma saidinha e teve um microfone onde os blogs se apresentavam, infelizmente perdi boa parte da apresentação dos blogs. Conversei e comprimentei bastante gente na “rodinha”, ainda que sempre esqueço os nomes de pessoas. Ao apresentar esse blog, fui apaludido assim como muitos outros, sejam por ser antigos ou mais famosos, mas nem entendi o porquê (rs). Além do encontro de blogs aconteceram duas coisas: uma proposta do Allefcapt para auxiliarem em um projeto na Petrobrás de divulgação do RPG por todo o país e também a apresentação do novo blog Metagamers ao qual foi dado o prêmio de destaque do ano para o Rastros de Cthulhu e também o anúncio de quem produzir material no fórum deles pode conseguir descontos em livros de RPG nas lojas das editoras filiadas.

Segundo o Wallace Garradini, um dos organizadores do evento, os grandes destaques foram a FRI e a BGCon, apesar de eu não ter feito nada em relação a BGCon (até gostaria, tenho jogado o Jogo da Vida no emulador de GBA). Mas não há como discordar dele, ambos estavam com salas e estandes cheios. Ano que vem as editoras Red Box e Retropunk deixarão de ficar no pavilhão dos independentes para terem seu próprio estande, mas sem dúvida não deixarão de ser independentes, ao menos não tão cedo, mas quem sabe teremos boas e novas editoras para substituí-los? Teremos um ano ou mesmo mais até lá para sabermos. Tanto a RPGCon quanto a World RPG Fest são os maiores eventos do país e nesse fim de semana tivemos também o FORRPG realizado em Fortaleza-CE. O RPG cada vez mais está perto do trabalho independente que é algo que praticamente tinha sumido em razão das editoras ditas “mainstream” mas que voltou com toda força de alguns anos para cá.

Este não será o último artigo sobre a RPGCon, prometo que deve aparecer mais alguns em breve.

Fontes de auxílio: @ShingoS, @MTermero, .20 (informações sobre Tormenta e 3D&T), Nitro Dungeon

About these ads

5 pensamentos sobre “Relatão sobre a RPGCon 2011 e a palestra das editoras

  1. Nossa então a 3º edição do M&M ainda deve demorar assim como o Sw, uma pena…

    MAs fiquei curioso em termos mais PDF’s sendo vendidos, isso pode realmente mudar as coisas por aqui.

    E sobre usar RPG na favela com tablets, como é isso? Pode detalhar?

  2. Pingback: Links sobre RPGcon | Metagamers

  3. Grande TALUDE!!
    Uma correção: Este ano os sites não ocuparam “salas”. ,mas sim os pequenos Stands da FRI, caso levassem algo.

    A SPELLRPG então montou uma apresentação do OHMTAR saca? Lá onde nos vimos.

    Um abração,
    E parabéns!

    • Salve Allef!
      Comentei isso pq no mapa dos expositores aparece no 2º andar uma sala tanto para a SpellRPG quanto para a FaleRPG. Aliás, não vi o Aaraon e nem a Garras no evento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s