O Cronista Desbravador para Tormenta RPG

Aproveitando que a Devir Livraria trará o Pathfinder RPG para o Brasil. O Cronista Desbravador (no original, Pathfinder Chronicler) é uma Classe de Prestígio que está presente originalmente no módulo básico do Pathfinder RPG e é a única Classe de Prestígio nova a aparecer nesse livro (as outras advém do Livro do Mestre de D&D3.5) é uma CdP que cai melhor em Bardos ou Ladinos e aqui apresento adaptado para Tormenta RPG. Penso em fazer outras versões no futuro.

Bravos Exploradores do perdido e do conhecimento esquecido, os cronistas desbravadores são aventureiros quintessênciais, explorando o mundo por verdades esotéricas, relíquias mágicas e mundanas e novos e misteriosos horizontes, sejam maravilhosos ou terríveis. Para alguns, essa jornada é puramente sobre a riqueza, para outros a glória da descoberta e muito precisa ser mexido pela descoberta de achar ossos de eras antigas e lendas de épocas esquecidas, na qual em um esforço para narrar os feitos de épocas perdidas de ontem, hoje e amanhã.

O cronista desbravador atrai qualquer um que vê o mundo como um grande mistério a ser revelado e assim como há a diversidade e variedade de discípulos, de guerreiros e bardos a magos e clérigos e todos entre eles. Porém, devido a seu papel como historiadores e preservadores para a posteridade, candidatos devem ser literatos e eruditos muito mais que caçadores de tesouros.

Tormenta RPG

Pré-requisitos

Para se tornar um Cronista Desbravador, o personagem deve preencher os seguintes critérios:

  • Perícias: Atuação 5 graduações, Ofício (Escriba) 5 graduações
  • Especial: Deve ter autoria ou escrito algo (que não seja um pergaminho mágico ou outra mágica) e que outra pessoa (não um PC) pago pelo menos 50 TO.

Características de Classe

Pontos de vida: Um Cronista Desbravador recebe 4 (+ mod Con) PV por nível.

Habilidades de Classe:

Conhecimento de Bardo: Essa Habilidade é idêntica à Habilidade de Classe de mesmo nome e níveis de Cronista Desbravador se acumulam com níveis de bardo para determinar o bônus do teste.

Bolsos profundos: Um cronista desbravador recolhe itens, bem como sabedoria, pegando pequenas quantidades de vários itens ao longo de suas viagens. Como resultado, ele pode transportar equipamentos não especificados no valor de até 100 TO por nível de classe. Isso pode ser qualquer tipo de equipamento que pode razoavelmente caber em uma mochila, incluindo poções e pergaminhos (mas não qualquer outro tipo de item mágico). Como uma ação de rodada completa, o cronista pode vasculhar os bolsos para recuperar um item específico, nesse momento, a dedução de seu valor do montante atribuído de custos. Este item não pode pesar mais de 4 quilos. Quando o custo remanescente total chega a 0, o cronista não pode recuperar mais itens até que ele recarregue seus bolsos profundos após passar algumas horas passeando por aí e gastar também uma quantidade de ouro pessoal para trazer seu total de volta para 100 TO por nível de classe.

Além disso, se ele levar uma hora para preparar seu equipamento por dia, ela ganha um bônus de +4 na Força para determinar sua capacidade de carga. Isso não afeta sua capacidade de carga máxima. A distribuição eficiente do peso simplesmente dificulta a menos do que a mesma quantidade de peso que normalmente deveria. Finalmente, o cronista desbravador ganha um bônus de +4 em testes de Ladinagem para verificações de feitos manuais para esconder pequenos objetos em sua pessoa.

Mestre Escrivão: Um cronista desbravador adiciona seu nível de classe como um bônus em todos os testes de Conhecimento e Ofício (escriba) cheques, bem como a utilização de um dispositivo mágico verifica envolvendo pergaminhos ou outros itens mágicos escritos. Um cronista desbravador pode fazer testes de Conhecimento para decifrar o texto como uma ação de rodada completa e sempre pode escolher 10 em Conhecimento e Ofício (escriba) verificações, mesmo se distraído ou em perigo. Lembrando que o Conhecimento deve estar diretamente ligado à linguagem como na descrição da Perícia, subtópico Decifrar escrita.

Viver para contar o conto: No 2º nível, uma vez por dia por dois níveis de classe, um cronista desbravador pode tentar um novo teste de resistência contra qualquer condição em curso contra o qual ela falhou em um teste de resistência em uma rodada anterior, mesmo que o efeito é normalmente permanente. Esta habilidade não tem efeito em condições que não permitem testes de resistência ou contra efeitos instantâneos.

Descobridor: Começando no 2º nível, um cronista desbravador desenvolve um excelente senso de direção e habilidade em conduzir os outros através do terreno difícil ou seguindo mapas antigos. Um cronista desbravador ganha um bônus de +5 em testes de Sobrevivência feitos para evitar perder-se e testes de Inteligência para escapar da magia Labirinto. Além disso, ele sempre usa o modificador de movimento por terra “estrada ou trilha”, mesmo quando em terrenos sem trilhas, a pé ou montado. Com um CD 15 teste de Sobrevivência, o cronista desbravador pode estender esse benefício a um companheiro por nível de classe.

Performance de Bardo: O cronista desbravador ganha um bônus de +1 em Atuação a cada dois níveis de Classe.

Auxiliar Aprimorado: Cronistas desbravadores frequentemente servem como companheiros de grandes heróis, de pé ao seu lado e registrando suas ações, mas muitas vezes dando uma mãozinha crucial. A partir de 3º nível, um cronista desbravador auxiliando a qualquer aliado um bônus de +2 ao invés de +1 (veja Prestar Ajuda em Perícias). Esse bônus também é válido quando ambos atacam o mesmo alvo.

Contos Épicos: Um cronista desbravador de 4º nível pode escrever um conto tão evocativo e tão comovente que transmite os efeitos da música de bardo através da palavra escrita. Para criar um conto épico requer que o descobridor cronista gastar um número de rodadas de sua capacidade de desempenho de Bardo igual a duas vezes a duração do conto épico (duração máxima de 10 rodadas) e qualquer teste de perícia de Atuação é trocada por Ofício (escriba). Um conto épico afeta apenas o leitor, mas concede todos os benefícios que normalmente se aplicam para ouvir uma Atuação. Um cronista desbravador pode aplicar os efeitos de quaisquer Talentos que afetam a música de bardo para os seus contos épicos. Um conto épico conserva sua potência sobrenatural durante 1 dia por nível de classe. Isso requer uma hora para escrever, uma ação de rodada completa para ativar, e uma duração igual a metade do número de rodadas de Atuação de Bardo gastas durante sua criação. Uma vez ativada, a magia de um conto épico é consumida.

Campanha em sussurro: Cronistas desbravadores influenciam o mundo através de seu controle da informação e capacidade de moldar a percepção pública. No 5º nível, com o uso especial de música de bardo, o cronista desbravador pode criar o efeito de uma magia Desesperos como invocada por um feiticeiro de seu nível de classe, afetando uma criatura em pessoa. Este é um efeito dependente da língua. Alternativamente, o cronista pode afetar um alvo particular (um indivíduo ou um grupo definido de criaturas) para os outros. Esta forma de música de bardo cria o efeito do feitiço Cativar, mas no final da atuação, todas as criaturas que falharem no teste de Resistência mudar sua atitude para com o alvo da oração por um passo (na escolha da direção do cronista desbravador) para 1 dia por nível de classe.

Inspirar ação: Como um uso especial de música de bardo, um cronista desbravador de 6º nível pode exortar qualquer aliado que seja possível ouvi-lo para um aumento repentino da ação, permitindo que seu aliado tome imediatamente uma ação de movimento extra. Isso não conta contra o número um do aliado de ações em seu próprio turno. No 9º nível, ele pode ativar um aliado para tomar imediatamente uma ação padrão em seu lugar.

Invocar lendas: No 7º nível, uma vez por semana, como uma ação de rodada completa, um cronista desbravador pode invocar 2d4 humanos bárbaros de 4º nível, como se usasse um chifre de bronze de Valhalla, estes bárbaros convocados o servirão com fidelidade completa. Os bárbaros são construtos, não pessoas reais (embora eles parecem ser). Eles chegam com o equipamento normal de partida para bárbaros e farão qualquer ataque que o cronista lhes designar.

Grandes contos épicos: No 8º nível, a palavra escrita do cronista desbravador ganha poder. Esta habilidade funciona como a habilidade contos épicos do cronista, exceto que se ler em voz alta, a música de bardo tem efeito como se o autor tivesse usado essa habilidade, mas os efeitos são direcionados pelo leitor e usar o modificador de Carisma do leitor quando aplicável.

Postura dos mortos exaltados: Uma vez por semana, como uma ação de rodada completa, um cronista desbravador de nível 10 pode convocar 1d4+1 bárbaros humanos de nível 5, como se ele usasse um chifre de ferro de Valhalla. Os bárbaros convocados servirão-lhe com uma lealdade inquestionável e completa. Eles são Construtos, com o subtipo imaterial (tomam 50% dos danos a partir de fontes corpóreas, e nenhum dano de fontes não-mágicas). Eles chegam usando armadura de couro batido +2 e atacam com machados grandes com toque espectral (permitindo-lhes causar dano completo em criaturas corpóreas) e qualquer outro ataque que o cronista designar. Para o cronista e seus aliados, estes mortos exaltados aparecem como uma tropa nobre de guerreiros espectrais. Para seus inimigos porém, é a terrível ira dos antigos heróis e devem ter sucesso em testes de Vontade ou ficarão abalado por 1 rodada por bárbaro invocado (CD 15 + modificador de Carisma do cronista desbravador).

Nível: BBA Habilidades de classe
+0 Conhecimento de Bardo, Bolsos profundos, Mestre escrivão
+1 Viver para contar o conto, Descobridor
+2 Performance de Bardo, Auxiliar aprimorado
+3 Contos épicos
+3 Campanha em sussurro
+4 Inspirar ação
+5 Invocar lendas
+6 Grandes contos épicos
+6 Inspirar ação
10º +7 Postura dos mortos exaltados
Anúncios

6 pensamentos sobre “O Cronista Desbravador para Tormenta RPG

  1. Opa, Daniel.
    Achei a classe bem legal. Ainda não a conhecia e ela preenche um vácuo que existe de boas classes de prestígio para ladinos e bardos.

    Aqui vão alguns tibares:
    1. Achei o BBA da classe estranho. Ele não entra na conta de BBA Bom, Médio, Fraco. Na classe original do Pathfinder ela segue mesmo esse padrão? Pelo tipo da classe, acredito que seja o médio, mesmo do ladino.

    2. O dado de vida poderia ser d6 ou no máximo d8. D10 é usado só por classes combatentes, perfil que essa cdp não tem. Recomendo manter o mesmo da classe original.

    3. Campanha em Sussuros: A magia em Tormenta é Desesperos, com S no fim.

    No mais é isso 😀
    Durante a semana divulgo ela na fanpage de TRPG no facebook/twitter/skynerd

  2. Só algumas dicas com relação ao nome das habilidades. Você traduziu direto e algumas são na verdade expressões com equivalentes em português. ‘Viver para contar o conto’, por exemplo, seria ‘Viver para contar a história’. ‘Campanha em sussurro’ seria ‘Campanha de difamação’. Já Lay nesse sentido é um termo arcaico que significa:

    1. A narrative poem, such as one sung by medieval minstrels; a ballad.
    2. A song; a tune.

    Ou seja, ficaria ‘Balada do Morto Exaltado’, ‘Poema do Morto Exaltado’ ou mesmo ‘Canção do Morto Exaltado’ ^^.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s