Os Níveis Tecnológicos: Um breve comparativo

Neolítico – 6500aC-2400aC

Aparecem primeiramente no GURPS e depois no D20 Future.
Eles servem como uma simplificação para a tecnologia de uma certa cultura. Isso geralmente serve mais para viagens no tempo ou para lugares com culturas diferentes, como um mundo com cultura medieval e, ao mesmo tempo, uma cultura com o desenvolvimento industrial e armas de fogo e outra, primitiva. Aqui, vou fazer um comparativo entre os períodos reais (ou seja, sem futurismo) e os do RPG. Não é uma medida justa e nem realista, mas serve bem para o papel que foi especificado.

De acordo com o GURPS 2ª edição brasileira, Níveis tecnológicos são:

“O nível tecnológico é uma descrição geral da maior realização tecnológica (ou de um certo tipo de tecnologia) de uma cultura. Se um soldado da Segunda Guerra Mundial (NT 6) fosse enviado
de volta ao tempo do Rei Arthur (NT 3), as coisas poderiam ficar interessantes. Obviamente, não há necessidade de se fazer uma viagem no tempo. Mesmo nos dias de hoje, para se recuar 3 ou 4 níveis tecnológicos basta visitar a parte certa do mundo. Também é possível, para um lugar, país ou mundo haver uma grande variação de nível tecnológico em assuntos diferentes. Armamentos e medicina, por exemplo, poderiam estar bem avançados, enquanto que transporte e comunicações poderiam estar atrasados um nível ou dois. A escala de níveis tecnológicos começa em 0. Níveis altos de tecnologia provavelmente parecerão magia para pessoas originárias de um meio com nível tecnológico significativamente inferior.”

E a descrição dos Níveis de Progresso no D20 Future é:

1650-Prensa de tipos móveis

“Um Nível de Progresso (NP) é uma indicação do estado da tecnologia que existe em uma sociedade em particular ou civilização (que, em um cenário de ficção cientifica, pode estar localizado em outro planeta que não a Terra). Este estado de desenvolvimento tecnológico geralmente afeta todos os aspectos da cultura, particularmente em níveis altos (NP 5 e além) quando comunicação a longa distancia é virtualmente instantânea. Mesmo em níveis baixos, é difícil – mas não impossível – para um grupo de humanos (ou outros seres conscientes) estar em um Nível de Progresso em alguns aspectos e em outro em outros aspectos. Níveis de Progresso podem variar de um local pra outro em um mesmo mundo ou mesmo continente.”

As divisões conforme cada um dos jogos:

GURPS 2ª/3ª Edição

Aqui, aparece de certa forma desatualizado, apesar que Steve Jackson já declarou que de fato, estamos na era espacial. Desde que ele declarou isto, a NASA passou boa parte do seu espólio ao programa espacial russo e não temos informações sobre a viagem espacial concretizar-se até 2050. Os cenários de fantasia estão no NT3 (Idade Média) enquanto o período atual, conforme foi dito, é NT8. Para o GURPS 4ª edição, foram feitas algumas alterações.

NT0 – Idade da Pedra: fogo, alavanca, linguagem.
NT1 – Idade do Bronze (Atenas): roda, escrita, agricultura.
NT2 – Idade do Ferro (Roma): Arco de meio-ponto
NT3 – Idade Média (antes 1450): armas de aço, matemática com zero.
NT4 – Renascença/Colonial (1450-1700): pólvora, imprensa.
NT5 – Revolução Industrial (1701-1900): produção em massa, máquina a vapor, telégrafo.
NT6 – Guerras Mundiais (1901-1950): carros, aviões, rádio.
NT7 – Moderna (1951-2000): energia nuclear, computador, laser, foguetes.
NT8 – Era Espacial (2001-2050?): viagem espacial velocidade menor que a da luz, energia de fusão, transplantes.
NT9 – Era Estelar: viagem estelar em velocidade Mais Rápida que a da Luz, computadores sensíveis, longevidade, frombotzer deterônico.
NT10 – Antimatéria: energia de antimatéria, gravidade artificial, comunicação lenta – Mais rápida que a Luz.
NT11 – Força: escudo de força, feixes propulsores, comunicação rápida – Mais Rápida do que a Luz.
NT12 – Gravítica: antigravidade, compensação gravitacional, escudos de força pessoais.
NT13 – Adaptação Planetária: modificação completa de planetas.
NT14 – Dysoniana: construção de planetas, satélites, etc…
NT15 – TM: transmissão de matéria, energia cósmica.
NT16+ – O que você quiser…

1831 – Locomotiva DeWitt-Clinton

GURPS 4ª edição

Os 16 níveis que existiam antes foram reduzidos para 12. A fantasia fica no NT3 enquanto atualmente estamos no NT8.

NT0 – Idade da Pedra (Pré-História em diante). Contagem; tradição oral.
NT1 – Idade do Bronze (3500aC +). Aritmética; escrita.
NT2 – Idade do Ferro (1200aC +). Geometria; papiros.
NT3 – Idade Média (600dC +). Álgebra; livros.
NT4 – Era da Navegação (1450+). Cálculo; impressoras de tipos móveis.
NT5 – Revolução industrial (1730+). Calculadoras mecânicas; telégrafo.
NT6 – Era Mecanizada (1880+). Calculadoras elétricas; telefone e rádio.
NT7 – Era Nuclear (1940+). Computadores mainframe; televisão.
NT8 – Era Digital (1980+). Computadores pessoais; rede global.
NT9 – Era da Microtecnologia (2025+?). Inteligência artificial; virtualidade em tempo real.
NT10 – Era da Robótica (2070+?). Nanotecnologia ou outros avanços começam a dificultar a distinção entre as tecnologias…
NT11 – Era da Matéria Exótica.
NT12 – Tudo que o Mestre quiser!

D20 Future

(O conteúdo abaixo é Open Gaming License) Esse conteúdo da SRD Future pode ser baixada aqui.

NP 0: Idade da Pedra

Os maiores passos de uma sociedade da Idade da Pedra são o uso do fogo, domesticação de animais, e a invenção da agricultura. Um indivíduo vivendo em uma sociedade da Idade da Pedra é primitivo, mas não é necessariamente tolo, estúpido ou facilmente assustado por tecnologia avançada. Armas comuns em uma civilização NP 0 incluem a clava, adaga, lança e o arco.. Armaduras feitas de peles ou couro são possíveis, e escudos mais fracos. Comunicação além da tribo ou acampamento local não existe, Viagens são feitas a pé ou com bascos e canoas simples. Cerâmicas simples, trabalhos em pedra e madeira são possíveis.

NP 1: Idade do Bronze / Ferro

As primeiras civilizações humanas começaram a trabalhar com metais no fim da idade da pedra. A maleabilidade do cobre permite que ele seja o primeiro metal a ser moldado. Adicionando estanho ao cobre criaram uma liga muito mais forte: bronze. Este avanço permitiu a criação de ferramentas e armas de grande durabilidade. Na verdade, estas ferramentas aprimoradas tornaram possível o trabalho com o ferro, que logo substituiu o bronze como metal escolhido para fabricação de ferramentas e armas.

Em uma sociedade da Idade do Bronze / Ferro, avanços com cerâmicas, construção e agricultura permitem a concentração da população em grupos cada vez maiores, com um avanço correspondente na acumulação e troca de conhecimentos. O surgimento das nações, cidades-estados e impérios começam na idade do Bronze. Esforços organizados para aprimorar a comunicação permitem que existam sociedades regionais. Galeras e pequenos barcos a vela são capazes de viagens relativamente longas, e algumas culturas podem construir extensas redes de estradas e canais para ligar locais distantes. Aprimoramento da eficiência da agricultura permite o surgimento de artesões, operários, soldados profissionais e ocupações que não estão ligadas diretamente a coleta de alimento.

A espada substitui ao clava e a adaga como armas favoritas da infantaria. Bigas dominam a guerra antes da cavalaria (melhorada com a introdução do estribo) tornas as bigas obsoletas. As primeiras forças militares de verdade ou sistemas de estratégia aparecem. Armaduras agora podem ser feitas de placas ou escamas de metal, ou mesmo peitorais forjados, e uma variedade de armas de metal corpo a corpo dominam o campo de batalha.

NP 2: Idade Média

Civilizações amadurecendo passam por um período de turbulência e ajusta neste Nível de Progresso. Desenvolvimentos continuam na arquitetura, metalurgia e matemática. Grande disseminação de informação passa a ser possível graças a técnicas de impressão mais avançadas. Comunicação por mar domina a parte final deste estagio de desenvolvimento e navios pesados e galeões abrem as portas para o próximo Nível de Progresso.

Com o crescimento da população e conhecimento de arquitetura evoluída, uma porcentagem crescente da população se muda para as vilas e cidades cada vez maiores. Até o fim deste Nível de Progresso, o sistema feudal, em que uma pequena classe de nobres governa uma grande população de trabalhadores agrícola, entra em colapso. Ofícios especializados se desenvolvem, universidades aparecem, e nasce a classe media. As primeiras corporações emergem na forma de guildas de comercio. A evolução de fortes sistemas de comercio e financias tendem a distribuir a riqueza da sociedade mais igualmente entre seus membros, diluindo o poder da nobreza.

Ferramentas e equipamento de guerra passam por uma revolução significante. Sofisticadas cotas de malha e armaduras de placas protegem os guerreiros de ferimentos, e fortificações elaboradas se tornam uma forma de arte. Até o fim da Idade Média, a introdução de armas de fogo simples sinalizando o iminente fim dos cavaleiros, armaduras pesadas e exércitos organizados armados com espadas.

NP 3: Idade da Razão

A Idade da Razão é uma era na historia humana quando o desenvolvimento de idéias e sistemas de pensamentos tomam presença sobre as invenções tecnológicas. O método cientifico aprimora o entendimento do mundo pelos humanos. Experimentação se torna a maneira pela qual as propriedades físicas da natureza são sistematizadamente examinadas. O estudo de varias disciplinas cientificas – química, eletromagnetismo, medicina, biologia e astronomia – florescem. Instrumentos como microscópios e telescópios permitem aos cientistas aumentar muito o alcance de suas observações e descobertas. Uma nova ligação com a ciência gera ondas em todos os níveis da sociedade. Superstições caem e a exploração do mundo alcança sei ápice. Sociedades começam a experimentar novas formas de organização, como a democracia. Corporações e alianças econômicas continuam a evoluir. Economicamente, este Nível de Progresso é a transição da manufatura medieval para a industrialização.

O canhão se torna um fator dominante em navios de guerra, enquanto tiros concentrados de mosquetes e peças de campo puxadas por cavalos dominam os campos de batalha. Mesmo o confiável arco é banido, substituído por morteiros. Armas corpo a corpo leves continuam comuns.

NP 4: Idade Industrial

No quarto Nível de Progresso, o conhecimento teórico das eras anteriores amadurece na forma de aplicações praticas. O aparecimento da hidráulica, do aço, e da eletricidade criam uma explosão no comercio e na industria. Desenvolvimentos como o telegrafo, o telefone, e o radio fazem a comunicação global possível. Saltos nas técnicas de fabricação permitem a construção de barcos pesados de aço, transporte ferroviário e arquitetura de tamanho inimaginável anteriormente. Pioneiros se aventuram nas alturas da atmosfera e descem até as profundezas do mar.

Urbanização está completa com indivíduos se unindo em ambientes menores, onde podem mais facilmente trocar bens e informação. Corporações expandem seus poderes, muitas se estabelecendo através do mundo explorado. Governos são baseados em fatores políticos e econômicos.

O significado da guerra muda rapidamente através do período. Aeronaves e submersíveis entram na lista de equipamentos militares. Rifles mais precisos e confiáveis, pistolas e metralhadoras se tornam comuns. Maquinas de guerra mecanizadas causam a primeira grande mudança na arte da batalha desde a era dos cavaleiros.

NP 5: Idade da Informação

A Idade Industrial movia-se com energia química, mas, na Idade da Informação, tecnologia de computadores e eletrônicos reinam supremas. Sistemas de informação via satélite e a Internet conectam o globo digitalmente. Este Nível de Progresso ainda vê a introdução da fissão atômica como energia e armas, reduzindo a importância de combustíveis fósseis. O automóvel substitui a locomotiva como o meio de transporte mais comum. Os primeiros passos para a viagem espacial envolvem grandes foguetes químicos, equipamentos não tripulados e satélites, e em pequena quantidade missões tripuladas.

A tecnologia desta era permite uma maior participação dos cidadãos no governo. A necessidade de alianças internacionais começa a romper as fronteiras entre as nações. Corporações ganham poder e começam a questionar a autoridade governamental. Tecnologia tem grande efeito no estilo de vida dos indivíduos, comparando com a sociedade como um todo. A maioria das armas deste período são versões refinadas de equipamentos da Idade Industrial. Rifles, metralhadoras e grandes engenhocas ainda são usados por soldados do mundo todo. Sistemas computadorizados e mira e armas guiadas fazem as armas de guerra muito mais precisas e eficientes. Armas estratégicas, testadas mas nunca usadas, exibem o poder de eliminar a própria espécie em minutos.

A humanidade experimentou a Idade da Informação como anos de ansiedade cheios de crises menores. A tensão vai gradualmente se aliviando através do tempo, e com o fim da era formam-se novos super-poderes.

NP 6: Idade da Fusão

O desenvolvimento da energia por fusão prove uma fonte eficiente e renovável de energia que praticamente acaba com a necessidade de fontes de combustíveis químicos. A exploração avançada e a colonização do espaço se tornam possíveis. Computadores se tornam ainda mais acessíveis, confiáveis e poderosos, permitindo o desenvolvimento de sistemas virtuais e acesso em larga escala para a Internet global. Lentamente, a sociedade experimenta um nova revolução, quando nações individuais são substituídas por poderes mundiais. Mega-corporações numeram vários destes novos superpoderes, quando cidadãos de nações e empregados de corporações se tornam indistinguíveis. Armados com meios de erradicar toda a espécie, os poderes mundiais mantém conflitos no nível de conflitos menores e posturas, e integração dos desenvolvimentos da Idade da Informação se procedem pacificamente.

Avanços científicos na engenharia genética permitem a evolução artificial e a primeira tentativa sancionada pelo Governo-Corporação para manipulação genética em seres humanos. Os resultados iniciais são encorajantes, com a manifestação de mutações positivas e negativas na espécie até o fim da era. Cientistas também aperfeiçoaram a tecnologia de clonagem, e os primeiros clones humanos são criados. Nos anos finais desta idade, as primeiras aplicações da indução gravitacional aparecem, na forma de veículos civis e militares que se movem pelo ar sem propulsão física ou consumo de combustíveis.

Explosivos e armas de fogo químicas se mantém como armas comuns; a tecnologia de fusão não consegue ser efetivamente miniaturizada para combate pessoal. Ao invés disso, química avançada e tecnologia de super condutores mudam os materiais e as capacidades de muitas armas. Naves espaciais reais se tornam possíveis, propelidas por motores de fusão poderosos, mas ainda requerem uma reação de massa para atravessar o espaço. A idade vê uma tênue ocupação de outros planetas e asteróides de um mesmo sistema estelar.

NP 7: Idade da Gravidade

Quando este Nível de Progresso se abre, a invenção de duas tecnologias chaves aponta a escalada da humanidade para as estrelas. Reatores de indução gravitacional sistematicamente substituem a energia por fusão como uma fonte ainda mais eficiente de energia que pode ser miniaturizada com grande facilidade. Com o uso de reatores de massa, os poderes mundiais exploram, dividem e colonizam todo o sistema estelar local. A maior parte da vida no planeta natal não é mudada. O segundo avanço desta era trás o maior salto na historia da civilização humana. A introdução e integração da tecnologia de indução gravitacional permitem a criação de um motor de indução, que permite as naves espaciais criarem pontes entre as estrelas. Reorganizações política e econômica ocorrem quando a espécie se afasta de casa.

Armas de projéteis estão em seus últimos dias, quando energia crua se torna disponível. Armaduras energizadas são disponíveis para guerreiros desta idade. Armas pessoais (corpo a corpo) aproveitam seu retorno, com grande parte das mudanças nas táticas militares – conflitos armados individuais raramente ocorrem em escala de exércitos, mas mais freqüentemente envolvem engajamentos de pequenas unidades em condições em que armas de distancia não são necessariamente efetivas. A tecnologia computacional liga toda a sociedade, povoados e postos avançados em sistemas estelares em uma única rede de informações, criando uma troca pratica de conhecimento e dados sem paralelo para negócios, entretenimento e pesquisa.

NP 8: Idade da Energia

A contínua miniaturização da tecnologia dos motores de indução permite a criação de usinas de energia no tamanho de bolinhas de gude que controlam as forças básicas da criação. Telas de força pessoais poderosas e armas de energia dominam o campo de batalha, quando armas de projeteis finalmente desaparecem, após governaram os campos de batalha por milênios. Sensores, escudos e motores miniaturizados permitem a produção em maça da de caças estelares. N outra ponta do espectro, técnicas avançadas de construção permitem aos humanos construírem enormes cidades auto sustentáveis no espaço.

NP 9 e Maiores

Geralmente, estes Níveis de Progresso estão além de nossa compreensão, entretanto mundos isolados ou espécies não descobertas podem existir que tenham acesso a eles. Em muitos casos, a tecnologia marcante de eras anteriores é abandonada em favor a uma tecnologia mais elegante e mais poderosa. Controle pratico da matéria em nível subatômico, a habilidade de viajar através do tempo, ou o poder para dobrar o espaço para viagens de distancias mais curtas podem ser possíveis neste estagio de desenvolvimento tecnológico.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Os Níveis Tecnológicos: Um breve comparativo

  1. Legal o detalhamento dos níveis, ajuda baste isto em jogos, afinal quanto para frente ou para trás estamos em relação aos obstáculos.

  2. GURPS 4E melhorou muito as NTs, deixando a visão romântica de autores de ficção científica do século XX para algo mais lógico. Contudo, meio bizarro Roma ter um NT menor que a Idade Média só por causa da algebra e de coisas como o tear. A engenharia romana só foi ser superada na Era Vitoriana (foi quando conseguiram superar, por exemplo, o Panteão de Adriano como espaço interno sem colunas). Sem falar nas estradas romanas, ou em seus aquedutos com inclinações de 30 centímetros por quilômetros. Roma merecia NT3.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s