Financiamento coletivo: RPG Caracterização


RPG Caracterização é uma antologia de artigos por algumas das personalidades mais experientes do RPG nacional. O objetivo? Ajudá-lo a tornar seu personagem melhor.

Inspirado nas melhores publicações internacionais, cada artigo trata de um aspecto distinto sobre caracterização de personagens, com dicas calibradas especialmente para a mesa de jogo, visando aumentar a sua diversão e a dos seus amigos.

Nossos artigos abordarão variados assuntos que contribuem para um desenvolvimento mais elaborado de personagens no RPG, como arquétipos junguianos, distúrbios psiquiátricos, coerência interna e a intercessão fantasia/racismo.

Seu personagem merece mais!

Participe do financiamento coletivo pelo Catarse.

O que é caracterização?

Para encurtar uma conversa longa, caracterização é o que diminui a distância entre o seu personagem na sua cabeça e ele na sua mesa. Um personagem bem caracterizado transfere bem o seu conceito para os demais jogadores e não fica no caminho da diversão de ninguém. Como tanto jogadores quanto narradores/mestres usam personagens, caracterização é um tema importante para todos aqueles que não abrem mão de um bom jogo de RPG.

Como será o livro?

O livro inclui 10 artigos, cada um abordando um aspecto diferente do espectro da caracterização. O miolo tem 80 páginas de papel offset 90 g, preto e branco com ilustrações de Heitor Amatsu. A capa é em papel cartão 250 g, em cores, com verniz localizado e ilustração de Bernardo Wall.

Quem são?

Para esse projeto, fizemos uma parceria entre o blog RPG Notícias e a editora Pensamento Coletivo, além de recrutar talentos por toda a esfera do RPG nacional.

Leandro Pugliesi mestra desde 1992. Já narrou quase todo sistema possível, mas atualmente tem um carinho especial por Pathfinder. Sua tara é narrar campanhas épicas e testar sistemas novos. Ele começou o RPG Notícias em meados de 2008, inicialmente para traduzir as novidades da quarta edição de D&D. Depois de quase 30 mil fãs e muitas parceiras, o blog cresceu e se expandiu o bastante para tentarmos uma iniciativa dessas. Quando não está rolando dados, ele vê séries, cozinha, estuda astrofísica, escreve contos e joga JRPG sem parar. Ele pretende aprender ikebana.

Thiago Rosa “Shinken” joga e mestra RPG desde os 9 anos, quando alugou um livro de Paranóia sem saber que era um jogo. Nos últimos 20 anos, escreveu para as revistas Dragão Brasil e Trailseeker, além de outros trabalhos como freelancer para Pathfinder e Savage Worlds. Desde o ano passado tem colaborado com o blog. Quando não está atrás de um escudo, ele ouve punk rock, torce pelo Fluminense e lê quadrinhos da Marvel.

Filipe Cunha começou a jogar como todo mundo, com Banco Imobiliário, War, etc. Meados de 92/93 conheceu o que era RPG, mas só foi jogar mesmo em 94, quando conheceu também o Magic, e daí o vício bateu forte. Primeiro, começou jogando Magic, mas pela falta de jogadores na época começou a jogar muito RPG na escola e no grupo local, que se chamava Dragon Island. Ano vai, ano vem, conheceu muitos jogos e sistemas nesse caminho, até que chegamos a 2013. Já trabalhando como designer gráfico, resolveu montar sua própria editora, a principio pra lançar boardgames. Por extensão (e interesse) natural, acabou abraçando o RPG também à causa e hoje estamos aqui, tentando nosso lugar ao sol e trazendo jogos e cenários menos conhecidos e mainstream, como Jadepunk, Walkure, Interface Zero, Dragon Kings…

Tárik Ventura joga RPG há mais de 10 anos. No seu currículo vemos mesas incríveis de Star Wars D20, D&D 3.5 e L5R 4e. Adora desenhos e jogos de todos os tipos, desde que bem escritos e montados. Formado em Design pela PUC Rio desde 2012, já trabalhou com ilustração e animação para diversos curtas, representando o Brasil no Anima Mundi 2013 com o curta “Paleolito” ganhando diversos prêmios de “Melhor arte” e “Melhor Direção de Arte” pelo Brasil. Mestra Star Wars D20 para todos interessados e com tempo livre. Atualmente está esperando uma mesa de RPG que falta somente uma sessão – após anos jogando – para terminar a aventura.

Eva Morissey é apaixonada pela narrativa acima de qualquer coisa. Gosta de conflitos, de drama e de suspense, mas não dispensa pilhar uma masmorra. Responsável pelo Livro dos Espelhos.

Luciana d’Anunciação joga RPG desde 1993. Já foi personagem em role playing game futurista, ciberpunk, medieval, de super heróis, de zoeira, de carnificina nas estrelas, de criaturas imortais… Atualmente é uma aventureira no Nono Mundo. Ela tem uma coluna na página Garotas Geeks.

Stephan Martins é o eterno mestre que prefere jogar, adora trazer novatos ao RPG e é o maior viciadão em Forgotten Realms e nos drow. Ele faz o Apotecário do Anão na Formação Fireball.

Vinicius Alvim é um conhecido conjurador de muralhas de texto. Entusiasta de jogos e mestre de RPG desde tempos remotos de sua adolescência, esse velho tirano ocular ronda pelos fóruns de RPG ameaçando aventureiros incautos. Hoje, ele tem um covil no NerdUp, de onde planeja dominar o mundo.

Annita Wright começou a jogar RPG com 11 anos, sob recomendação do moço da livraria onde comprou Senhor dos Anéis. A partir daí, RPG foi fonte de terapia, aula de inglês avançado e inspiração para uma carreira nas artes. Conhecida como arroz de RPG nos grupos de jogo do Twitch, tem cadeira cativa com o pessoal do Rola o Dado e é artista 2D.

Larissa “Ixa” Ferreiro aprendeu a jogar RPG no chat da UOL em meados de 1999 e começou a mestrar RPGs de mesa em 2005. Gosta de discutir roteiros, design de personagens e biologia desde tempos imemoriais; o que naturalmente a levou a imaginar cenários desde criança. Atualmente trabalha com o namorado num cenário independente chamado Maeve.

Livia von Sucro é, antes de tudo, uma apaixonada por RPG. Leitora voraz, entusiasta e divulgadora do hobbie desde antes das redes sociais existirem como tal, ela aproveitou a XP acumulada nos últimos 20 anos para comprar Medicina, depois Psiquiatria, e agora resolveu gastar mais um pouco em Filosofia. Escreve esporadicamente no blog Dado Violado e vorazmente em qualquer lugar onde se discutam RPG e jogos analógicos baseados em narrativa e interpretação.

Phill Souza escreve informalmente artigos de D&D e outros sistemas desde 200X. Jogador e mestre desde 1995 na quinta série, quando entendia RPG como faz-de-conta. Tem uma paixão por sistemas desconhecidos ou pouco utilizados, como Lasers and Feelings, Paranoia e RIFTS, que se diverte descobrindo mais a cada dia. Amante da antiga série de Megaman e de Shin Megami Tensei, tem um gosto musical eclético e secretamente adoraria ser um peixe, para em seu límpido aquário mergulhar.

A arte fica por conta de Heitor Amatsu (DeviantArt) e Bernardo Wall (Tumblr).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s