Lançamentos da Jambô para a CCXP (2) – Selo Blast!

navio-dragaoNovo selo editorial tem como foco publicar mulheres e minorias

A CCXP de 2019 será palco da estreia de um novo selo editorial. O selo Bast!, nome inspirado na deusa egípcia das batalhas e protetora das mulheres, tem como propósito publicar literatura e quadrinhos de autoria de mulheres e minorias.  Em parceria com a Jambô, editora com 17 anos de mercado e consagrada por suas publicações no universo do RPG e da literatura fantástica,  o selo nasce encabeçado por Flávia GasiRebeca Puig e Nami Teruya, e faz sua estreia com o lançamento de quatro títulos.

Navio Dragão

Produto em PRÉ-VENDA. Previsão de envio do livro DEZEMBRO de 2019.

Dizer que amo este livro é um eufemismo. Dizer que é a minha tirinha favorita da atualidade também. Dizer que é uma das melhores tirinhas de todos os tempos está mais próximo da realidade, pela simples virtude de ser a mais pura e inalterada verdade.

Eu amo tudo sobre este livro. Amo o mundo que ela cria, amo o elenco, amo o design. Mas acima de tudo, o domínio absoluto da forma de arte que a criadora tem, o que torna Navio Dragão um clássico de todos os tempos. Cada piada está perfeitamente posicionada e cada painel é uma alegria de se olhar.

Você vai se apaixonar, assim como todo mundo que eu conheço e já leu.

Talvez eu seja um pouco tendenciosa, já que EU MESMA era uma guerreira ruiva pronta pra luta quando criança, mas acredito que é porque Rebeca Prado é um gênio e Navio Dragão é simplesmente maravilhoso. Compre este livro ou vou mandar a Lif te atacar e, confie em mim, você não quer isso.

Gail Simone, quadrinista, roteirista e pesquisadora

Ficha técnica
Autor:
 Rebeca Prado.
Formato: 21 x 25 cm, 96 páginas, capa dura.

Clique aqui para adquirir!

Saudade

saudadeProduto em PRÉ-VENDA. Previsão de envio do livro DEZEMBRO de 2019.

Eu morria de medo dele.

Em minha infância, eu costumava ir com a família para o nosso sítio. Eu não gostava. Queria ficar na cidade, reclamava que não tinha TV, que era tudo muito parado. Tudo muito… real. A vida ali era constantemente presente. Os insetos, os cavalos, as galinhas, as vacas, o Tacoa.   Tacoa era o nosso cachorro.
E eu morria de medo dele.
Lembro de ele se aproximar de mim, me olhar, e eu me afastar. Alguma coisa nele não me permitia chegar perto.
Um dia, o Tacoa morreu.
Alguns dias após a sua morte, olhei para meu avô e disse que ia ao banheiro. Mas eu fui pra horta. Me lembro de tocar no pedaço de pau que marcava onde fora enterrado. Me lembro de chorar. Me lembro de sentir saudade. Quando ele era vivo, eu tinha medo. Mas agora eu sinto saudades. Eu sinto… amor. Por ele. Cresci em um lar que tinha afeto, mas havia pessoas nesse lar que não me davam amor, e isso me fechou. Mas esse animalzinho era tão genuíno na demonstração dos seus sentimentos, que eu não sabia lidar.
Que eu tinha medo.

“Saudade” é lindo. O calor dos seus desenhos, a doçura em suas palavras, o abraço que eu recebo através de sua mensagem. Me lembrou dessa época em que animais eram constantes em minha vida, que sua verdade e pureza ao viver os sentimentos transbordavam tanto que fizeram um menino emocionalmente fechado… entender melhor o que é amar. Me lembrou que a dor faz parte do amor. E que a saudade nada mais é do que o amor por alguém, latejando dentro de você mesmo depois que ela já foi.
—Leo Hwan, cineasta e criador de conteúdo

Ficha técnica
Autor:
 Melissa Garabeli e Phellip Willian.
Formato: 20 x 25 cm, 128 páginas, brochura.

Clique aqui para adquirir!

historias-de-terrorHistórias de Terror para Crianças Estranhas

Produto em PRÉ-VENDA. Previsão de envio do livro DEZEMBRO de 2019.

Admita! Você foi uma criança estranha!

Vi daqui todos os indícios e nem precisei olhar muito. Eu sei que você foi… porque eu fui também. A gente já torceu pelo monstro, já pensou diferente de quem nos botou no mundo, já fez o que achavam errado pra ajudar quem a gente sabia estar certo, já teve amigo que os pais acreditavam ser imaginário e que deixamos que pensassem assim… os pais não aguentariam a verdade.

É pra você e pra mim que as duas Rebecas, a grande e a pequena, escreveram e desenharam esse tesourinho! Só a gente vai rir,
chorar, se identifi car, se assustar com essas criancinhas e quem sabe até com os monstros.

Só a gente! E todo mundo. Que todo mundo, um dia, já foi uma criança estranha. Infelizmente, algumas pessoas esqueceram que foram, mas tenho certeza, se elas lerem Histórias de Terror para Crianças Estranhas, vão lembrar! Porque é bom demais ser um adulto estranho.

Germana Viana

Ficha técnica
Autor:
 Rebeca Puig e Rebeca Prado.
Formato: 21 x 25 cm, 48 páginas, brochura.

Clique aqui para adquirir!

cronicas-de-minas-gamedevsCrônicas de Minas Gamedevs

Produto em PRÉ-VENDA. Previsão de envio do livro DEZEMBRO de 2019.

Criar games é trazer quem joga para seu mundo, entreter, impactar e, acima de tudo, contar histórias. Mas quem está por trás dessas criações nem sempre tem a própria história contada ao mundo. Quer dizer, alguns têm. Mas é das algumas que quero falar hoje. Desenvolvedoras dificilmente estão sob os holofotes, e aqui observamos o dia de sete delas.

Aqui não é aquele tipo de palco com holofote e mestre de cerimônias. “Crônicas de Minas Gamedevs” é sobre a vida real (tem uma metamorfose em humano-escorpião, mas juro que ainda é sobre a realidade). Espiamos o dia de Ami, Tainá, Chu, Edith, Camila, Raquel e Julia. De desenvolvedoras que existem, que vivem a indústria de games rotineiramente e, também rotineiramente, precisam provar que ali é seu lugar.

Ser mulher é ter no simples ato de existir uma afirmação política. Não é uma escolha. Não é só na área de games. Piora se for de mais uma minoria. Os questionamentos vêm dos colegas, do público, de dentro. Às vezes dá vontade de sair, procurar outras coisas, águas menos turbulentas. Não julgo quem faz. Já o fiz. Não existem águas tão menos turbulentas assim, e elas tampouco nos levam aonde queremos ir.

Nossas vivências são, muitas vezes, consideradas pequenas, irrelevantes. Insignificantes. Mas podem significar prumo para alguém ao redor. Quando ensaiava meus primeiros passos cobrindo games, recém-saída da faculdade uns anos atrás, teria dado tudo pra conhecer o cotidiano de algumas dessas minas incríveis. Veria que as histórias que contamos no trabalho são diferentes, mas as nossas histórias pessoais e dúvidas não eram, no fundo, tão diferentes assim.

Espero que conhecê-las agora aqueça seu coração como aqueceu o meu.
Míriam (Mikannn) Castro, jornalista, produtora de conteúdo e gamer.

Ficha técnica
Autor:
 Flávia Gasi e Kaol Porfírio.
Formato: 20,5 x 27,5 cm, 64 páginas, brochura.

Clique aqui para adquirir!

Um pensamento sobre “Lançamentos da Jambô para a CCXP (2) – Selo Blast!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.