[Indie] Terras de Shiang (ReOPS)

O OPERA é um sistema clássico de Encontros Internacionais de RPG (quando estes eram realizados). Antes publicado de forma independente, Posteriormente, ele foi adquirido pela Devir Livraria e essa versão jamais viu a luz do dia e, enfim, conseguiu ser publicado pela editora de Campinas, Comic Store que teve vários suplementos publicados o de psiônicos Conspiração do Amanhecer, o de faroeste 1887: Sob o Sol do Novo México e O Mais Longo dos Dias), da Segunda Guerra Mundial. Após isso, a editora deixou de existir, mas eles mantiveram a posse do nome OPERA, o que levou á publicação do sistema de forma independente e rebatizado de Re.Ops. Agora, o primeiro cenário do Re.Ops, Terras de Shiang, que é um cenário oriental.

O Terras de Shiang está disponível gratuitamente ou também pode ser comprado na versão impressa por R$60,00 em versão de capa dura no site oficial. Geralmente eu deixo a diagramação e a arte para o fim, mas aqui vale mencionar o acabamento do livro: capa dura, HQ colorida, as páginas são em escala de cinza (ou seja, o cinza predomina no fundo das páginas) e possui uma HQ colorida na entrada. Além disso, vieram dois props: uma ficha e um mapa (este, colorido) cartolinados.

Na introdução, o autor aborda o sistema OPERA e a sua evolução, o Re.Ops e também as suas inspirações: A Gênese, de Allan Karec, a HQ (ou mangá) Lobo Solitário e a animação Princesa Mononoke. Logo após vem a HQ de oito páginas (conforme já dita, colorida) “Um Dia Chuvoso” sobre batalhas antigas e, apesar de Terras de Shiang ser sobre o Japão, o traço passa longe do estilo mangá, lembrando mais os quadirnhso americanos.

A seguir vem o Livro I, batizado de Historia das Terras de Shiang, escrita por um Lantro conhecido como Cajado Branco e que descreve a sua espécie e a grande batalha com os Dras’k. o primeiro capítulo posteriormente a isso abrange a História e a Geografia do lugar com a divisão do local entre as espécies até o ano atual nas Terras, 903. A seguir, as dimensões planares que são as das Almas Eternas, as Inferiores, Cinzas, Escuridão e Tormentos e um resumo cronológico do mundo. O segundo capítulo destaca o sistema OPERA/ReOPs com seus Atributos principais (Físico, Destreza e Inteligência) e os secundários (Percepção, Vontade, Mente, Mana e Sorte). O sistema é também composto por Características, que se assemelham a Vantagens e Desvantagens e Habilidades, que se assemelham a Perícias. Há regras de testes, combates, magias, evolução e o uso de miniaturas. O capítulo termina com a descrição das Raças: Tireses que são Homens-Tigres, Símios similares a macacos evoluídos, Lantros já mencionados aqui, os Homens-Lagartos, os Banques que são anfíbios de pele esverdeada e os Ciclopes, seres com um olho.

O Capítulo 3 apresenta as já mencionadas Características (divididas em Psíquicas, Físicas e Especiais) e Habilidades (divididas em Físicas, Psíquicas e Bélicas), que há algumas alterações acerca do sistema Re.Ops, como custos diferentes para cada Espécie como Aptidão Mágica que permite que o personagem utilize o Atributo Mana possui o custo de 2PCs para Banques, 4 para Tireses e Símios, 5 para Lantros e 8 para Cíclopes. Ao mesmo tempo, Cíclopes não podem adquirir Atraente nem Contorcionismo, nem Surto de Adrenalina. Há muitos códigos de Honra disponíveis (Armas Sagradas, Caçadores, Guardiões, Guerreiros Símios, Lâminas Mortais, Lutadores Mortais Abraço do Krondai, Lutadores Pata de Godo, Servidores e Viajantes) e por fim, há as Características Especiais que permitem seu personagem ficar bem estranho (e com custo alto): Imagine um Símio voador ou um Cíclope com Olho Adicional, não há nada contra as regras que vá contra isso, mas logicamente, a aquisição depende do Mestre. As Habilidades, conforme já foi dito equivalem a Perícias e nesse caso, não há custos diferentes. A parte de Habilidades Bélicas é bem dividido em diversos tipos de armas, todas ilustradas enquanto a parte de armaduras é muito pequena. As regras estão em uma tabela no final do capítulo e cobre todas elas.

O quarto capítulo abrange outra parte grande do livro: são as artes marciais, as magias e os poderes. O capítulo começa com descrição de golpes como rasteira e jab e depois passamos aos Estilos de Luta, que são adquiridos por nível com um custo em PC. Um exemplo: o estilo Caminho da Luz no nívrl 0 tem Golpe 0, Aparo +1, Esquiva +1 e Dano D2-1 e custoa 4 pontos de criação. No nível 1 o golpe aumenta para +1, o Aparo para +2, a Esquiva e o Dano mantêm-se e gnaham os golpes Amortecer queda 91) e Aparo acrobático (1) e custa 6 pontos, isso vai até o nível 5 que tem custo de 31PCs. Após a isto, continua o capítulo com Magias no qual o Mana fica guardado em gemas que acumulam um certo nímero de pontos de Mana (de 1 a 30) e pode-se sacrificar o Físico para obter Mana com a criação de magias, lista de magias e como adaptar as magias para níveis maiores, objetos encantados e no fim do capítulo há uma lista de poderes, todos restritos, por exemplo, Afastar Espíritos é permitido apenas a Servidores e habitantes da Dimensão das Almas Eternas e muitas são restritas a Deus ou uma Divindade, outros a Guardiões, outros a Lâminas Mortais, outros a Viajantes e há alguns (poucos) que não possiuem restrições.

O Capítulo 5 abrange os elementos do cenário que contém elementos como a tecnologia, as cidades, a arquitetura das casas e templos tireses, incluindo plantas baixas e representações 3D destas, os costumes como comércio, honras, preços de alojamentos, animais, armaduras, casa, aparatos de cozinha, diversos, ferrmanetas, gemas, instrumentos musicais, lazer, móveis, objetos de arte, papiros, provisões, serviços médicos, mensais e vestuário, as campanhas símias e regras para animais e criaturas começando com as Aberrações como o Buldocão que se assemelha a cães gigantes e os Godos, uma mistura de cavalo e canguru, depois, Insetos Gigantes e outros mosntros como o Pássaro Noturno e o Predado Camuflado, continuando, regras para pessoas que habitam outros planos de existência, já citados aqui. Lugares mágicos, sagrados e muitos objetos mágicos (com custo em pontos).

O Capítulo 6 retoma os personagens, detalhando melhor a cosntrução de personagens e trazendo arquétipos de personagens semi-prontos e que cobrem cada uma das Raças. Tireses podem ser Arma Sagrada, Caçador, Guardião, Guardião Guerreiro, Guardião Eclesiástico, Lâmina Mortal, Lutadores – Abraço de Kondrai, Garra de Tigre, Pata de Godo, Viajante e Servidores. Os Símios com Batedor, Artilheiro, Guerreiro, Monge Elemental, Xamã. Depois, Tireses Neutros que não são tidos como Heróis: Ladrão e Gladiador. Para Tireses e Símios Neutros: Mercenário, para Tireses Sombras: Clã do Punho Negro – Guerreiro Cinzento, Magos do Punho Negro, o Clã do Olho Entreaberto: Lutador Serpente Negra, Mago do Olho Entreaberto, do Clã do Sem Nome (Ou Inomináveis) – Mago Inominável e dos Símios Cultistas – Xamã Culsta. Terminando, regras para a Cor do Pelo dos Tireses, conforme o tom diferente confere Características adicionais, como regra opicional.

O último capítulo abrange as campanhas combatendo inimigos externos (monstros e animais) ou internos (Forças das sombras e Símios cultistas), de como inserir o cenário em crossovers com outros, as estratégias de combates, os deuses e as divindades do cenário e como jogar com elese terminando, a aventura O Segredo Esquecido que também serve como descrição para a cidade e dos habitantes da cidade de Vento na qual os jogadores jogam como Tireses ou Neutros, com muitas arenas para gladiadores e lutadores. O livro termina com um mapa em preto e branco, personagens prontos e duas fichas de personagem em branco.

O livro é muito bonito tanto em relação às ilustrações quanto em relação à diagramação, fontes gostosas de ler, a não ser na contra-capa em que algumas partes das figuras se sobrepõe à fonte, acabamento de luxo. As regras do sistema OPERA/ReOPS são leves e fáceis de entender, mas o problema ocorre na sequência dos capítulos, onde a descrição do cenário e a construção de personagens se sobrepõe. A bem da verdade, o capítulo Personagens deveria ser um dos primeiros, mas está lá perto do final do livro. Outro fator que é interessante sobre o livro: ele está disponível de graça no site www.terrasdeshiang.com em um PDF preto e branco, mas há duas opções para a compra: PDF colorido ou livro impresso. Busque se gostar de cenários onde os Huamnos não tem a mínima importância, se gostar de cenários semi-orientais e buscar conhecer (isso se já não o conhecer) o sistema OPERA. O livro está sim, muito bom e é altamente recomendável.

Terras de Shiang

Tipo: Livro Básico
Sistema: OPERA/ReOps
Autor: Léo Andrade
Ilustrações: Altair Messias, Rafael Leme, Danio, Léo Andrade, Marcelo Braga, Rafael Leme, Renato de Sá, Cenildon “Thunder” Muradi Jr, Tiago E. dos Santos
Editora: Confraria dos Observadores (Independente)

Avaliação: 5/6

Regras: 5/6
Arte: 6/6
Desenvolvimento: 4/6

Um pensamento sobre “[Indie] Terras de Shiang (ReOPS)

  1. Pingback: Resenha: Terras de Shiang | RPG News

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s