História e RPG – Idade Média (1) – Introdução

cercolisboa

Cerco de Lisboa (1384) Fonte:http://iluminura.blogs.sapo.pt/12202.html

A partir de hoje, farei uma série de posts sobre a Idade Média já que muitas vezes a fantasia dos cenários de RPG é retratada como “fantasia medieval”. O que de fato, não é. Longe de ser uma comparação entre o mundo medieval real e de fantasia, Quem sabe, não role um RPG mais realista no final dos posts? Nessa primeira parte, irei falar cronologicamente sobre a Idade Média focando na Europa e um pouco nos reinos árabes. Trata-se de um período muito complexo. No próximo post, o mais básico de tudo: a sociedade feudal. Essa seção é uma homenagem a antiga seção homônima da revista Arkham RPG.

O que é a Idade Média?

A Idade Média é um período que durou cerca de 1000 anos, tendo início no século V e findando no século XV. Sim, é um período de tempo enorme. O início dela ocorre com o fim do Império Romano do Ocidente em 476dC e se estende até 1453 quando os turcos-otomanos tomam a capital Constantinopla (atual Istambul). Esse fato leva a queda do Império Romano do Oriente. Divide-se em dois períodos: A Alta Idade Média (do século V ao XI) e a Baixa Idade Média (do XII ao XV). Lembro que quem propôs a periodização da História como conhecemos foi Petrarca (1304-1374), filósofo italiano que já pensava em Renascimento, que ocorre entre os séculos XIV e XVII. Em tese, os séculos XIV e XV devido a ação do Renascimento, ganham o nome de Idade Média Tardia, mas para melhor divisão, só irei considerar os dois.

Muitas vezes a Idade Média é referida como uma Idade das Trevas, mas foi um período da criação das primeiras universidades (a opera Carmina Burana surge entre estudantes universitários), de melhorias na agricastelocultura e na arte ao final dela. Houveram inventos como o astrolábio, a prensa de tipos móveis (que já existia na China). Também surgiram os botões, os óculos, bancos (e os banqueiros), a indústria têxtil (teares já existiam e vão ficar melhores após a Revolução Industrial), janela de vidro, anestesia (não muito efetiva até o início do século XX). Também havia produção literária trovadoresca e de novelas de cavalaria. Vou fazer em breve um post sobre isso (Bardos ficam animados).

A Alta Idade Média¹

Começa com a invasão dos “bárbaros” oriundos do norte (germânicos e outros povos do norte da Europa), do oeste (celtas) e mais tarde, as do leste (húngaros e eslavos) que se deslocavam lentamente até atingir o sul. Ainda que tenham a fama, os vikings (cuja tradução do norueguês antigo é simplesmente viajante) eram mais normalmente mercadores do que saqueadores, como ficaram marcados popularmente.

Nesse período há três grandes impérios: O Império Bizantino que é o Império Romano do Oriente com capital em Constantinopla (atual Istambul, Turquia) tem origem em 395, quando o imperador Teodósio divide o Império Romano em duas partes: Ocidente e Oriente. A grande importância de Constantinopla era situar-se entre diversas rotas de comércio, a cidade servia como depósito de especiarias e produtos de luxo. O imperador Justiniano (governou entre 527 e 565) no qual revisionou o código romano, construiu a igreja de Santa Sofia e foi de contra a revolta de Nika (532) que foi contra os altos impostos governamentais e o exército matou muitos revoltados. Em 1054 ocorre o Cisma do Oriente, que leva a divisão da igreja cristã em Apostólica Romana e Ortodoxa Grega, posteriormente surgem também a russa, copta, síria, etíope, sérvia… O império termina em 1453 com o cerco a Constantinopla para os turcos-otomanos.

mapa3429

Questão do vestibular da UFPB

O segundo é o Império Carolíngio, com origem ao Reino Franco. A partir do século VII quem governava eram “reis indolentes”, eram reis não interessados em governar, em somente divertir-se. Com isso, quem governava eram os “prefeitos do palácio”. Um que se destacou Carlos Martel, que após sua morte teve o fim da dinastia Merovíngia e assumiu seu filho, Pepino, o Breve dando início a dinastia Carolíngia. O filho de Pepino, o Breve foi Carlos Magno (daí o nome do Império) contando com o apoio da Igreja, fortaleceu o poder real, expandiu o Império e no fim de sua vida, dividiu o Império em três partes, para seus filhos, levando a desfragmentação do Império em 814 e em guerras entre eles.

O terceiro é o Império Árabe que tem início a partir de 711 com a liderança por Gibal Tarik, começam a conquistar o Norte da África e de lá, ocupam a Península Ibérica e isso leva a Guerra de Reconquista. Com o tempo, o império se fragmenta da mesma forma que os anteriores. Assim, haviam dinastias como a Omíada, depois substituída pela Abássida. A cidade de Bagdá era rica culturalmente, o que levou a preservação de muitas obras greco-romanas e também hindus pelos árabes, assim como o uso do zero. O árabe já foi o inglês de hoje.

Por fim, a sociedade era a feudal, quando falamos em suserania e vassalagem, sociedade estamental e essas coisas. O processo foi de ruralização, a sociedade urbana passa a mudar para o campo, fugindo dos “bárbaros” e dos árabes e por vezes, guerreando com eles (inicialmente só por nobres). As cidades voltam a ganhar importância na Baixa Idade Média. Esses dois temas: sociedade feudal e cidades medieval terão destaque em posts específicos, já que são temas abrangentes.

Jogos, RPGs, livros que se passam nessa época

Mangá Vinland Saga, filme Monty Python em busca do cálice sagrado (com muito anacronismo), livros Anel dos Nibelungos, qualquer livro arturiano (apesar que o rei Arthur pode ter sido um interventor romano), Canção de Rolando e Beowulf.

Papa Inocêncio III excomungando os albigineses. Massacre dos albigineses pelos Cruzados. Iluminura das Crônicas de Saint Dennis.

Papa Inocêncio III excomungando os albigineses. Massacre dos albigineses pelos Cruzados. Iluminura das Crônicas de Saint Dennis.

A Baixa Idade Média

Hora da Europa sofrer mudanças e aos poucos convergir no capitalismo. Surgem universidades e como já disse, cidades que substituem as feiras que existiam até então. As pessoas passam a fixar lugar devido aos mesmo motivos que levaram a ruralização. Sim, camponês só se dá mal. A palavra “vilão” vem de quem residia na cidade, que não eram bem vistos por quem residia no mundo rural. O camponês fugia do seu trabalho servil e ia para a cidade, se tivesse uma especialidade poderia se dar bem.

É o período das Cruzadas, que foram uma grande série de batalhas entre cristãos e árabes para a retomada de Jerusalém. Mas no fim, o resultado foi um grande aumento do comércio ente os povos. Começou político e acabou econômica. E também resultou com a nobreza ficando endividada, propiciando o aumento do poder real e da burguesia. A primeira Cruzada foi realizada em 1095 proposta pelo Papa Urbano II aos nobres franceses em um total de oito ou nove, fora as extra-oficiais como a dos Pobres (que foi a primeira, em 1095) e a das Crianças, em 1212. A última foi realizada entre 1271-2e por vezes considerada pare da oitava.

Jeanne d'Arc

Santa Joana D’Arc

A Guerra dos Cem Anos foi realizada entre 1337 e 1453, no apagar das luzes da assim chamada Idade Média. A guerra que na verdade não foi uma guerra em si e sim uma série de batalhas entre os reinos da França e Inglaterra foi motivada por quem herdaria a coroa francesa, quando o rei Felipe IV, o Belo morre sem deixar herdeiros do sexo masculino. O rei da Inglaterra, Eduardo II, neto pelo lado materno de Felipe IV queria o trono, o que fez com que os franceses fossem contra. Durante a guerra tivemos o surto de peste bubônica, resultando na morte de 25 milhões de pessoas. Também ocorre a Jacquerie, quando senhores feudais começam a oprimir os servos, dessa opressão resultou uma grande revolta camponesa, mas muito desorganizada. Não foi a única revolta camponesa da Idade Média, mas foi a mais representativa. Voltando a Guerra dos Cem Anos terminou com vitória francesa, com o rei mais forte (isso resultará ao Absolutismo, futuramente) e cria-se um sentimento nacional nesses futuros países.

Entre 1315 e 1317 (às vezes relatado até 1322) a Europa sofreu uma grande fome, devido a crise de produção. Nesse período, muita morte em massa e mesmo infanticídio, sim, as pessoas comiam os próprios filhos. Ela atingiu o norte da Europa, incluindo as ilhas Britânicas, norte da França, os Países Baixos, Escandinávia, Alemanha e Polônia ocidental e também os Países Bálticos, de forma indireta. Muito deveu-se a explosão demográfica (a Idade Média foi geralmente um período de pouco crescimento populacional) e grande queda na produção. O período foi de grande aquecimento e isso fez com que as sementes não brotassem.

Falamos de Guerra dos Cem Anos, uma figura famosa da batalha foi Jeanne D’Arc (ou Joana D’Arc) foi levada a fogueira acusada de bruxaria (20 anos depois de sua morte ela foi absolvida da acusação) devido a ação da Santa Inquisição e esta teve início no século XII na França para combater a divisão da Igreja Católica como por exemplo os Cátaros. Ela vai começar a agir de forma mais forte após ao fim da Idade Média. O fim da Idade Média também é o período de renascimentos: Cultural, que valoriza o Humanismo não somente na Itália, atingindo boa parte da Europa e o Urbano, conforme já foi dito.

Jogos, RPGs, livros que se passam nessa época

Livro e filme El Cid, qualquer história sobre São Francisco de Assis, Robin Hood, A Divina Comédia, os Pilares da Terra, série Dark Ages de Storyteller, Ars Magica, Arkanum, boa parte das peças de William Shakespeare, jogos Age of Empires II e o primeiro Assassins Creed.

No próximo artigo, falaremos sobre a sociedade feudal e a relação com as Classes de D&D.

Fontes

MACDONALD, Fiona. O cotidiano europeu na Idade Média. Melhoramentos, 1995. ORDOÑEZ, Marlene e QUEVEDO, Júlio. Sistema de Ensino IBEP – História Geral. Volume ùnico. IBEP, sem ano. SCHNEEBERGER, Carlos Alberto. Minimanual Compacto de História Geral – Teoria e Prática. Editora Rideel, 2003. WOOLF, Alex. Uma nova história do mundo. Makron Books, 2014. Sites: TV Tropes, Wikipedia.

Nota

¹Há diferença na nomeação entre Alta e Baixa Idade Média. Para os franceses, a Alta vem primeiro e depois, a Baixa. Para os ingleses, a Baixa vem primeiro e depois vem a Alta.

Anúncios

2 pensamentos sobre “História e RPG – Idade Média (1) – Introdução

  1. Pingback: História e RPG – Idade Média (2) – A Sociedade Feudal | RPG News

  2. Quando eu era adolescente, dos 12 aos 18 acho, jogava AD&D, Gurps e Vampire. Embora Vampire seja bem legal, pois gosto muito de vampiros, eu preferia mil vezes jogar os de idade média (também jogava vampire idade das trevas). Parabéns pela publicação! Vou continuar acompanhando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s